Sofázinho querido

0 Flares 0 Flares ×

sofazinho-18

O assunto de hoje aqui na casinha é sofá. Sim, o nosso querido estofadinho de cada dia, que nos acalenta quando chegamos em casa, que recebe nossas visitas fofas e as nem tão fofas assim,  que enfeita nosso lar doce lar, que serve de apoio para uns amassos. Vai dizer que nunca fizeram isso? Tolinhos, não sabem o que tão perdendo!

No nosso cafofinho os dois sofás são de dois lugares (foto na abertura do bloguinho) – um preto retrátil e outro mais clássico, xadrez vermelho e branco. A lá lá ôÔÔ!!!

Porque dois do mesmo tamanho? Se um for muito maior que o outro parece que uma espaçonave pousou no meio da nossa sala, só faltando servir um drink para o E.T.

Quando eu os escolhi, além da boniteza, pensei na proporção e no conforto, claro! O agora xadrez, que antes era azul royal,  está comigo desde a universidade faz tempo.

E o preto, substitui outro estofado de 3 lugares, a espaçonave, detonadíssimo pelo Chico, o gato. Eu tinha birra com o tamanho e nem ligava do Chiquinho fazer a manicure nele.  Quando ficou todo podre, corri e comprei outro pequenininho, proporcional ao tamanho da sala. Quanta felicidade!

O que eu mais gosto nos sofás não são eles propriamente ditos, mas as almofadas espalhadas neles, acho lindjo, até suspiro.  Faço o estilo a Loka da Almofada – a visita não sabe se senta no chão, joga as 1234587 almofadas pela janela ou se me xinga. Praticidade zero, né minha gente?! ;(

Para mim, sofá sem almofada é tipo Claudinho sem Buchecha, não orna, não me convence. Apesar de amar o adereço, atualmente estou mais contida, além de ser falta de educação, dá muito trabalho jogar aquilo tudo no chão, depois juntar, afofar, ajeitar… É, eu também sou TOC.

 

0 Flares Facebook 0 Google+ 0 Twitter 0 Pin It Share 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

4 comments

  1. Amanda Menger says:

    Oi meninas. Então esse lance da capa é uma tragédia. Tem que ser sob medida e sorry, em Tubarão não tem quem faça. Já procurei. Resolvi mandar reestofar o meu lindo sofá depois que o Galileu, o gato, destruiu os braços do pobrezinho. Depois de muito pesquisar, optei pelo aquablock (comprei o da Karsten, uma pequena fortuna o metro) listrado com cinza, preto, branco e um verde musgo. Já tem umas três semanas que ele foi entregue e está resistindo bem as unhadas do malvado do meu filho-peludo-bichano. Li também que o suede é bem legal e aguenta bem as investidas, mas, junta muito pelo, o que não no aquablock não tem problema. Como é impermeável, passa um pano úmido e está limpinho.
    Quanto as almofadas. Adoro! Mas as novas resolvi fazer lisinhas, em um cinza chumbo para deixar a atenção só para o sofá.

    • casadelagracia says:

      É, a capa tem que ser sob medida, aquelas de lojão N E M P E N S A R! Se não há mão de obra especializada na cidade, o melhor é apelar para o estofador mesmo. Quanto ao tecido, pode até ser um mais em conta, é só comprar um apito (beeeem mais barato que o aquablock) e doutrinar a criaturinha de 4 patas. Nenhum dois sofás de casa têm estofamentos à prova de gatos. Mas se o chiquinho chega perto para fazer a manicure Priiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii… Ele já associou uma ação a outra e vai tocar sua viola em outra freguesia, ou seja, na poltrona do home office. Mas lá tá liberado. Amanda, vc é uma profissonal da decoração, curti todos os pitacos. Manda as fotos do seu cafofo para a gente!

Deixe uma resposta