Casa Cor SC

0 Flares 0 Flares ×

cc1

Na última sexta-feira (28) fui conferir a edição catarinense da Casa Cor e confesso que fiquei um pouco macambuzia com o que vi. Logo na entrada dei de cara com as obras do artista ungido pelos novos caixas-altas de Santa Catarina, Luciano Martins.

Nada contra o trabalho fofo e engraçadinho do publicitário. Mas gentem, temos tantos talentos quentinhos no cenário artístico do Estado, sem falar das obras belíssimas dos já consagrados Vera Sabino, Hassis, entre outros, que tô começando a acreditar que  este excesso de pinturinha fofa é falta de criatividade e referências mesmo.

Ah, a obra do Luciano é engraçadinha e agrada os novos ricos? Tasca lá mais um quadro do artista. Chega! O que vi foi o mais do mesmo e muita, muita ostentação e pouca função. Livro de arte é bacana na decor? Tinha livro por tudo quanto é lado, dos mais variados títulos e de todos os modos.

Mas o mais infame, me perdoem os criadores do espaço Ócio Criativo, foi um do italiano Domênico de Massi que se chama Ócio Criativo, obviamente. Morri e virei purpurina no céu (ou inferno)!

A sala de jantar com um quadro no teto e que do meio dele pendia um lustre de cristal, também me deixou um pouco intrigada. Para ousar é necessário um senso estético muito apurado, se não fica parecendo que sua inovação foi apenas um grande erro e, sinceramente, ninguém quer morar num cenário de Poltergeist!

cc2

Os detalhes, os tão essenciais pormenores, ficaram de lado em alguns ambientes. O closet era lindo, a cor ideal, a divisão perfeita. Mas aí corro melhor os olhinhos e tá lá na sapateira, compondo o ambience, uma sandália velha, de salto de corda, encardida e de uma marca muito do jeca.

Não dá, né polvo?

Para não dizer que não falei das flores o espaço Café na Praça, com obras do Nestor Junior, um orelhão customizado por Tim Tchais e mobiliário contemporâneo, chique e sem frescuras, conquistou meu coraçãozinho.

Junto a ele, ficaram na minha memória afetiva O Living, O Estar Urbano, o Loft Urbano, o Studio Casa Cor, o Quarto do Menino e a Sala do Marido Gourmet. Ah, e o Balaroti Diamond Bar, apesar da ambientação um pouquinho óbvia, também tem seu lugar de destaque nos ‘mais mais’ – um CD com a playlist cuidadosamente escolhida para rolar no local era entregue a cada visitante. Voltei para casa na maior sonzera, curtindo do clássico John Coltrane ao som modernoso do US3.

 Casa de La Gracia curtiu:

_ Mural de CDs no Loft Urbano

_ Mobiliário do Café na Praça

_ Sofá do Studio Black

_ O clima noir do Estar Urbano

_ A estante de rinoceronte, da Actta Design, no Living

Casa de La Gracia temeu:

_ Quadro no teto e a profusão de lustres e luminárias na Sala de Jantar

_ Ambiente vermelho, vermelhão do Studio Deseo

_ Quadro de cavalinho no Quarto da menina

_ O excesso de parafernálias tecnológicas, lustres e sofás no Loft da Estilista

_ A Suíte da Velha. Ops, Moça e a indefectível obra do Luciano Martins.

 

* Todas as imagens foram ‘roubartilhadas’ da página oficial da Casa Cor SC!

 

 

0 Flares Facebook 0 Google+ 0 Twitter 0 Pin It Share 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Deixe uma resposta